JANELAS ABERTAS



Janelas abertas,
vejo os faróis acessos e a cidade deserta.
Não se apressa a noite a passar,
a saudade bateu na minha porta,
me deu vontade de ver o brilho desse teu olhar.

Mas tão distante você está.
Olho para o céu, vejo as estrelas e o luar,
só não vejo o brilho do teu olhar. Hoje a lua beija o mar.

O silêncio da rua vai me fazer chorar.
Que bom que logo essa noite vai passar,
porque ao amanhecer eu quero te encontrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário